26/Janeiro/2018

Temos uma catedral global

Parabéns a Diocese de Blumenau e todos os responsáveis


Arquiteto e urbanista. Professor da Furb

Temos uma Catedral cuja importância e qualidade da arquitetura modernista rivaliza com as mais importantes construções religiosas do mundo nos últimos 100 anos.

Inaugurada em 1958, 2 anos antes de Brasília, busca a “conexão entre o antigo e o novo” numa época especialmente interessante para a arquitetura modernista no Brasil, com Niemeyer, Lúcio Costa, todo o movimento nacional em torno da mais importante cidade modernista projetada no mundo, Brasília, o concreto armado etc.

É nítida a ousadia do arquiteto alemão e autor do projeto, Gottfried Bohm, nascido em 1920, venceu em 1986, o mais importante prêmio de arquitetura do mundo, o PRITZKER e foi o primeiro arquiteto alemão a receber esta homenagem.

Porque foi escolhido – palavra do júri:

“Filho, neto, marido, e pai de arquitetos, Gottfried Böhm tem razão para reconhecer que os meios e formas tradicionais fornecem alimento para a arquitetura assim como para todas as artes. No decorrer de uma carreira de quase 40 anos, ele tem tido o cuidado de ver que os elementos em seu trabalho que sugerem o passado também testemunham a sua pronta aceitação, quer na concepção de igrejas, prefeituras, habitação social, ou prédios de escritórios, dos mais recentes e melhores em nossa tecnologia contemporânea. Sua obra, altamente evocativa, combina o que herdamos dos nossos antepassados com muito do que temos adquirido recentemente – um casamento incrível e emocionante, ao qual o Prêmio de Arquitetura Pritzker está feliz em honrar.

Para conhecer mais detalhes desta interessante história que envolve religião, arquitetura, cidade e um grande esforço da paróquia católica de Blumenau para viabilizar esta grande obra, vale a pena acessar a matéria produzida pela arquitetura e urbanista Angelina Wittman clicando aqui

A Catedral São Paulo Apóstolo está fazendo 60 anos em 2018 e não apenas esta importante data simbólica, merece nossa aplauso e reconhecimento, mas principalmente a ousadia daqueles atores e responsáveis que na época tomaram a decisão de substituir a igreja antiga por algo novo, mas tiveram o discernimento e grandeza de abrir caminho para algo realmente inovador, contemporâneo, marcante e atemporal.

A decisão de chamar um arquiteto à altura do desafio e à frente do seu tempo, nos legou essa igreja que realmente desperta sensações e sentimentos em qualquer pessoa. Com simplicidade, estruturas aparentes e racionalidade, seja a nave principal, seja o batistério em frente ou ainda a torre dos sinos e sua escadaria animam a cidade e contribuem para a qualidade da paisagem do Centro de Blumenau.

Outro interessante artigo sobre a história da arquitetura religiosa e nossa região, de autoria de Angelina Wittman, pode ser acessado clicando aqui

 

Fica uma importante lição para todos, o tamanho de nossos sonhos e o esforço para realizá-los, ajudam a definir quem somos, nosso futuro e nossos caminhos comuns.

 

 

 

 

 

Podemos nos contentar com o básico, com o medíocre, com o mais baratinho, com a rápido e fácil, ou podemos buscar sempre mais qualidade, mais efetividade, mas cultura e soluções que aumentem nossa autoestima e retroalimentem nossa vontade de ir além e fazer sempre melhor, com todos e para todos.

Assim, uma comunidade cresce e amadurece culturalmente, economicamente, material e espiritualmente.

Parabéns a Diocese de Blumenau e todos os responsáveis e principalmente parabéns à Blumenau, que tem um patrimônio da humanidade bem ali no meio da rua XV de Novembro, num promontório estratégico que eleva a igreja à vista de todos, num destaque delicado que parece ter sido construído artificialmente, mas que foi pura obra da natureza ou de Deus.

 

Fotos: Christian Krambeck

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *