Comércio para as pessoas

18 de novembro de 2017

Arquiteto e urbanista. Professor da Furb


“A via terá o trânsito interrompido para dar espaço a diversas atrações gastronômicas, culturais e de lazer. Das 9h às 17h, food trucks, pontos de artesanato, apresentações musicais, intervenções artísticas, exposição de veículos e atividades culturais, lazer e esportivas serão oferecidos. Isso tudo, aliado às lojas do comércio da rua XV e das transversais, que estarão abertas durante todo o dia”. Informe Blumenau

Se no dia 23 de setembro, na chamada Primavera na XV, tivemos uma linda festa na cidade para as pessoas e para valorizar o comércio de rua, uma experiência que nos reaproxima da verdadeira função das cidades, porque não avançar e aprender com os bons exemplos e acertos?

Se o Centro de Blumenau é mais associado ao trabalho que às compras ou lazer, segundo pesquisa feita pela Fecomércio a pedido do Sindicato do Comércio Varejista de Blumenau (Sindilojas), que mostrou:

  • 42,7% dos entrevistados vão ao Centro porque lá trabalham
  • 26,2% faz compras, ou seja, uma em cada quatro pessoas
  • 10,5% vão para o lazer

Fica a questão: Porque não investir em uma estratégia de curto e médio prazo para mudar essa percepção e transformar todo o Centro numa referência de cidadania, lazer, entretenimento, cultura, consumo consciente, compras e cidadania?

A falta de opções recreativas no Centro é, sem dúvida, um dos problemas a serem atacados. Mais de um terço (36%) dos entrevistados vão ao Neumarkt Shopping para atividades culturais e de lazer. O cinema é o grande chamariz. O Parque Ramiro Ruediger atrai 19,1% e o Parque Vila Germânica, 16,1%.

Se a Primavera na XV já é um sucesso e teremos a segunda edição no sábado, dia 25 de novembro, promovendo mais um encontro entre as compras, o lazer, a cidadania, a cultura das pessoas na rua, porque não adotar a mesma lógica e estratégia e abrir o comércio da rua XV aos domingos de dezembro junto com a Rota de Lazer, usando as ruas transversais fechadas como estacionamento para quem não quer vir caminhando, de bike ou de ônibus?

Os estacionamentos rotativos podem entrar na festa e oferecer descontos e garantir movimento e lucro extras, oferecendo ainda mais opções de estacionamento. Do que mais as pessoas sentem falta em termos de lazer no Centro? Parques infantis foram citados por 23,6% dos entrevistados. Ciclovia aparece em segundo, com 20%. Em terceiro estão empatados bares com música ao vivo e praça, com 17,6% cada.

Se existe um projeto para revitalizar o Centro de Blumenau, coordenado pelo Sindilojas e elaborado por arquitetos e urbanistas, o Centro Vivo, porque não usá-lo como referência para uma mudança de modelo mental e cultura na cidade?

Porque o CDL, a Prefeitura e demais entidades não somam seus projetos, recursos, ideias e energias para construirmos uma cidade para as pessoas de verdade, priorizando o Centro da cidade e os centros de bairro também?

As questões colocadas acima, surgem a partir da intenção do CDL de abrir o comércio aos domingos durante o mês de dezembro, e nestes dias, antecipar o fim da Rota de Lazer das 18h para as 13h, permitindo a circulação normal de carros pela rua XV de Novembro, perdendo uma oportunidade de permitir que as pessoas circulem livre e confortavelmente sem a ameaça, o barulho e a poluição dos carros, podendo circular e passear pela rua, entre as lojas e várias promoções e atividades de lazer e entretenimento planejadas e organizadas em conjunto pelo CDL, Sindilojas e lojistas, que teriam suas vendas aumentadas.

Por isso estamos convidando a comunidade a participar e, os responsáveis a mudar de ideia, da campanha #comércioparaaspessoas.

Participe dessa mobilização e ajude a construir uma cidade para as pessoas de verdade e agora.

No artigo foram usadas referências do Blog do Pancho e do Informe Blumenau