Conversas Plurais: Higor Digão

16 de setembro de 2017

Editora do Cidade Plural/Estudante de Jornalismo na Furb
Digão no bar Pátio do Bairro, em Lisboa. FOTO: Pedro Mendes/Divulgação

Quem disse que o interior seria suficiente para um jovem músico que tinha em seu repertório canções que mesclavam as linhas dos sete continentes e deixava como o plus da apresentação em bares e festas, o sertanejo de raíz? De Rio Verde, em Goiás, o músico Higor Digão, 29 anos, recentemente embarcou para o mundo.

Ana Paula: Qual sua trajetória desde que começou a tocar? Em quais cidades você já tocou?

Digão: Iniciei meu trabalho com música lá em Goiás. Já toquei em várias cidades, começando por Rio Verde-GO, Jataí-GO, Santa Helena-GO, Goiânia-GO, Uberlândia-MG, Campinas-SP, Blumenau-SC, Gaspar-SC, Pomerode-SC, Itapema-SC, Florianópolis-SC. Agora estou aqui em Lisboa-Portugal.

Ana Paula: Quais instrumentos e estilo que você toca?

Digão: Meus instrumentos principais são violão, guitarra e ukulele. Porém, também toco contrabaixo, flauta doce, gaita, cajon, um pouco de violino e piano. Meu estilo favorito é a bossa nova, porém o mercado pra esse estilo é meio complicado, então eu toco músicas que eu considero boas dentro do pop/rock, rock, mpb e músicas internacionais, tanto músicas atuais quanto músicas antigas.

Ana Paula: E você tem algum trabalho autoral?

Digão: Tenho músicas autorais sim, porém não costumo tocar, gosto de trabalhar com covers mesmo, talvez no futuro eu trabalhe com elas.

Ana Paula: Qual o período que ficou em Blumenau e por quais lugares tocou aqui?

Digão: Fiquei em Blumenau um 1 ano e 9 meses, e nesse período toquei em bários bares, vou tentar lembrar todos: Das Bier Cervejaria, Boteco Floriano, Bier Vila, Boteco São Jorge, Spitz Bier, BierWald, El Burrito, Madrugadão, Madrugão Lanches, Enter Burg, Bar do Alemão.

Ana Paula: E por que decidiu ir para a Europa?

Digão: Eu tenho uma amiga, Vanessa Debastiani, que durante o meu período em Blumenau sugeriu algumas vezes para que eu fosse para os EUA, mas eu nunca tive vontade de conhecer lá, porém a Europa sempre me pareceu interessante, então resolvi vim para Lisboa, em Portugal.

Ana Paula: E o repertório que você vai tocar lá é o mesmo que tocava no Brasil?

Digão: Eu sempre gostei de músicas internacionais, então meu repertório vai ser principalmente elas, vou citar alguns cantores e bandas. Guns N’ Roses, Creedence Clearwater Revival, Drake, Imagine Dragons, Sia, Lord…

Ana Paula: Pretende tocar em outros lugares além da cidade que escolheu morar por enquanto?

Digão: Sim, tenho amigos em Madrid na Espanha, Sttutgart na Alemanha, Dublin na Irlanda, Londres na Inglaterra. Posteriormente quero passar uma temporada em cada um desses lugares, tanto para rever os amigos quanto para fazer um som.

Ana Paula: E quando você começou a tocar?

Digão: Eu comecei a tocar porque o pai de um amigo meu da época da escola tocava. Achei legal e comecei a aprender meio que sozinho, na época tinha umas revistinhas que vinha com as músicas cifradas. Ganhei meu primeiro violão no meu aniversário de 10 anos, meus pais me deram de presente assim como me deram a minha primeira guitarra quando eu tinha os meus 12 anos. Com 13 anos eu comecei estudar música, fiz 1 ano de aula de guitarra e mais 1 ano de teoria musical e com 16 anos eu comecei tocar em barzinhos da cidade.