As opções para a Câmara esquecer a Fundação Cultural

24 de julho de 2017

Jornalista, editor do Cidade Plural

A Câmara de Vereadores quer uma nova sede. E os parlamentares blumenauenses estão certo, visto que a sede atual é alugada, relativamente cara e não é adequada para o funcionamento do Legislativo. Quem já assistiu uma audiência pública relevante sabe que o plenário da Casa, por exemplo, é pequeno demais. É preciso sim uma nova sede, terão que fazer um investimento maior esse ano. E este artigo tem como objetivo defender algumas das alternativas apresentadas, para que os nobres edis esqueçam a ideia estapafúrdia de construírem um prédio atrás da Fundação Cultural de Blumenau.

CENTRO CÍVICO

A proposta mais interessante até agora sugerida foi construir um prédio junto ao antigo Fórum da Comarca, na Praça Victor Konder, junto a Prefeitura.  A ideia, apresentada na tribuna pelo vereador Sylvio Zimmermann (PSDB), é utilizar parte do prédio do antigo fórum, em um acordo com a Comarca, para construir o plenário e construir um prédio anexo para os gabinetes.

Essa ideia seria relativamente barata pois o terreno já é público e só precisaria construir a área dos gabinetes. O plenário, que pode e deve ser útil para toda a sociedade, seria na estrutura já existente. Baixo custo, possibilidade de ter ótimas instalações, manteria o Legislativo no Centro e mais, próximo do Executivo e Judiciário, transformando a Praça Victor Konder em uma praça do centro cívico, proposta defendida em um projeto de revitalização da área central.

ANTIGO BESC

Outra proposta interessante é a compra do prédio do antigo Besc na Rua XV de Novembro. O prédio pertence ao Banco do Brasil e poderia ser comprado e financiado por ele. O vereador Alexandre Caminha (Pros), defensor da proposta, visitou o local e espera ter logo em mãos a planta do prédio para fazer o quando seria preciso investir nas adequações internas.

RODOVIÁRIA

Um terreno ao lado da rodoviária foi oferecido e descartado pelos vereadores, que preferem ficar no Centro, mas é algo que deveria ser pensado novamente. É uma região de fácil acesso, com linhas de ônibus para acesso da população também.

O que não dá para aceitar se quer uma discussão é construir um prédio atrás da Fundação Cultural de Blumenau, como propôs na tribuna o vereador Ito (PR). O projeto Centro Vivo, encomendado pelo Sindilojas, prevê o uso deste espaço para revitalização do Centro Histórico, construir a sede ali seria um monstrengo que só atrapalharia.

Além das três alternativas citadas acima, podem existir outras opções. A Câmara de Vereadores deveria fazer uma audiência pública para discutir o assunto e convidar urbanistas e entidades para participarem e fazerem propostas. Mas longe de mexer na Fundação Cultural, que está recebendo finalmente sua reforma do telhado.

A Cultura precisa ser fortalecida e não dividir espaço.

Jornalista, editor do Cidade Plural