28/setembro/2016

Artigo: A hora da mudança

Empresário Ramon Aguiar Benedett escreve sobre eleições e a responsabilidades dos cidadãos


redacao@cidadeplural.com.br

urna_menor

Por Ramon Aguiar Benedett, empresário

As eleições da nova legislatura municipal são a oportunidade que todos queríamos de uma nova política. São centenas de novos candidatos com experiências variadas, formações profissionais e éticas que possibilitam iniciar a moralização política local.

O vereador deve, primordialmente, fiscalizar e legislar. Estamos terminando mais um mandato onde não se viu nem um nem outro papel sendo exercido pela maioria esmagadora dos vereadores. A velha política de coalizão estava tão forte e formada por políticos sem qualquer interesse público real, que perdemos 4 anos sem qualquer debate enriquecedor na câmara legislativa municipal.

Vivemos a política sem críticas. Como pode algo melhorar, se não se pode criticar? Foram quase 4 anos com 12 vereadores que deveriam fiscalizar, criticar, sugerir melhorias, mas que ficaram inertes, assinando tudo o que vinha do executivo, sem qualquer discussão saudável, sem fiscalização ou críticas. Mais preocupados em manter a velha e gorda teta disponível do que em exercer a função pela qual foi eleito.

A renovação se faz necessária.

A generalização de que “político é tudo ladrão” é a desculpa mais fácil para justificar nossa falta de interesse e de responsabilidade como cidadãos. Temos nas eleições para vereadores, a possibilidade de iniciar a renovação que desejamos na política. Jovens ou experientes, administradores ou professores, homens ou mulheres, temos candidatos para todos os gostos e de todas as bandeiras.

Não podemos mais nos contentar em votar no Fulano “porque é conhecido”, ou no Beltrano “porque nunca se envolveu com corrupção”, muito menos com o João “porque é da minha igreja”. Tampouco podemos limitar nossa escolha por candidato de apenas uma bandeira, por mais importante que ela seja, sua função exige uma formação técnica e humana com aplicação ampla. Temos que ousar, possibilitar o surgimento de novas lideranças, novos políticos com capacidade inclusive de se tornarem futuros deputados ou prefeitos.

Fazendo nossa parte domingo.

Mais do mesmo não, que venha a renovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *