22/janeiro/2018

O mestre APA

O prêmio já tem destino: Alemanha. E sabor também: A edição limitada da cerveja.


Jornalista e vencedor do Eisenbahn Mestre Cervejeiro 2017

 

A primeira edição do reality show Eisenbahn Mestre Cervejeiro terminou no final do ano passado e já deixou saudades. Bom, pelo menos para mim. Por isso, em minha estreia como colunista do Cidade Plural, quero contar um pouquinho do que foi viver aqueles dias e tentar debater um pouco sobre a contribuição que um programa como esse pode trazer para a cultura cervejeira nacional.

Na verdade não foi nada fácil chegar lá. Apesar de ser a primeira edição no formato televisivo, a Eisenbahn realiza o concurso desde 2007, ano em que o mestre cervejeiro Botto venceu com uma belgian dark strong ale.

De lá pra cá mais cervejeiros começaram a participar e enviar suas amostras e, a cada nova edição, a qualidade dos produtos só cresce. Dez anos após a realização da primeira edição, a Eisenbahn se une à EndemolShine Brasil e inova com um programa de TV, que estreou em outubro do ano passado no canal TNT, com 8 episódios de 30 minutos.

Ivan Tozzi vence o reality show Eisenbahn Mestre Cervejeiro

Eu já havia participado de outros concursos, até como forma de avaliar minhas cervejas e melhorar as receitas, mas dessa vez, a escolha do estilo foi o grande motivador: uma APA (American Pale Ale). Um estilo que sempre esteve entre as minhas preferidas. Não tão amarga como uma IPA, mais equilibrada e muito refrescante, além de contar com aquele toque delicioso dos lúpulos americanos. Eu não podia perder a oportunidade. Já havia produzido outras ótimas APA’s antes. Apostei minhas fichas que conseguiria fazer alguma tão boa quanto as anteriores.

Duas coisas começaram a pesar. Em primeiro lugar, o tempo para produzir: 30 dias para entregar a amostra. Qualquer problema no processo poderia mandar tudo por água abaixo. Uma conversinha com minha esposa foi o suficiente pra me motivar. Mas aí veio o outro entrave: gravar um vídeo contando um pouco da minha história. Nunca tive empatia com a câmera. Meu Deus, e agora? Grava uma, duas, três… parece que está piorando. Falei de novo! Desisto! Lá vem minha esposa me puxar a orelha novamente.

Encorajado, mandei o vídeo como estava: descabelado e barba por fazer. Fiz minha receita com o maior cuidado, tentando eliminar ao máximo qualquer falha. Só consegui experimentar ela no dia em que enviei as amostras. Para minha surpresa, achei sensacional, digna de uma boa nota, eu antes não acreditava nem na possibilidade de entrar no programa, mas agora via.

Estar entre os nove selecionados já era o bastante. Foi isso que senti quando a EndemolShineBrasil me ligou para comunicar que eu estava entre os participantes do primeiro reality show cervejeiro do Brasil nesse formato.

Um misto de felicidade e medo começou a tomar conta de mim:

Felicidade, sim, claro, por saber que minha cerveja estava entre as melhores, que havia passado pelo crivo dos juízes. Mas a sensação de medo mexeu bastante comigo. E agora? Eu. Um pai de família. Teria que enfrentar as câmeras, a opinião pública. Como seria dali pra frente? A partir daquele momento, eu estava totalmente nas mãos dos organizadores. Para onde vou? Quanto tempo vou ficar fora? Vou ter contato com a família?

Um motorista veio me buscar na noite anterior ao início das gravações. O destino? Um hotel na Zona Sul de São Paulo. Ali ficamos sozinhos, cada um em um quarto. Desconhecidos que iriam se enfrentar em breve.

No dia seguinte, a primeira recomendação: sigilo absoluto sobre tudo o que aconteceria dali para frente. Contato com a família ou com o mundo externo, apenas após os finais das gravações, que ocorriam no início do dia e só terminavam no mais tardar da noite. Essa foi, com certeza, a parte mais difícil para todos nós, estar longe de quem amamos, mas com certeza necessária para que pudéssemos nos concentrar para as provas.

Estar em um reality show não era exatamente meu objetivo de vida. Mas aconteceu. E no final foi excelente. O prêmio já tem destino: Alemanha. E sabor também: A edição limitada da cerveja já disponível nos mercados e bares do Brasil.

 

Siga o Ivan no Instagram: @ivantozzi74

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *